quarta-feira, 30 de julho de 2014

                 Tempo Clássico x Tempo Metafísico de Einstein. 




Mesmo se o tempo passasse mais devagar para um satélite GPS, seria por que ele não está na dimensão da terra, não está sujeito ao movimento de rotação desse corpo, não está preso na circunferência terrestre e portanto como tem fora da terra uma amplitude rotacional maior por não estar submetido e preso a rotação da terra e estar a circundando com uma circunferência de rotação um pouco maior, então posso explicar empiricamente por que para o satélite o tempo passa um pouco mais devagar, sem precisar de dilatação temporal alguma de velocidade da luz da relatividade de Einstein!

Até por que os 22 mil kilometros por hora do satélite não é nada perto dos 300 mil por segundo da luz, então a dilatação temporal da relatividade nem se aplicaria nesse caso, por que a velocidade do satélite perto da velocidade da luz é irrisória e nem faria diferença alguma para verificar uma mínima alteração ou dilatação de tempo. 

Isso trata -se claramente de uma falsa alegação relativística!  


Mesmo ainda que o satélite gire em tamanha velocidade(25 mil kilometros por hora), pela lógica de medida do tempo com referencial de rotação dos corpos, ela completaria a órbita em torno da terra e dele mesmo bem mais rápido que a própria terra em rotação, como seu movimento de rotação seria bem mais rápido e as horas deveriam passar mais rápido pelo aumento da velocidade rotacional do satélite e então veríamos na verdade uma contração temporal, o tempo referenciado das medidas de rotação e translação dos corpos deveria era passar mais rápido para um corpo em maior velocidade de rotação do que para um em menor, já que o tempo é medido de acordo com a rotação dos corpos ou planetas! 

Por exemplo, no sol devido ao seu tamanho, o tempo deveria passar bem mais devagar se fosse possível algum ser humano morar em sua superfície e medir o tempo, por que sua amplitude e circunferência é bem maior do que a da terra, então para dar uma volta a redor dele mesmo ele demoraria bem mais que a terra, que tem uma circunferência e amplitude bem menor, os dias solares demorariam bem mais horas que os terrestres, isso considerando se os dois astros tivessem as mesmas velocidade de rotação. 

Mas se aumentar em muito a velocidade de rotação do sol por exemplo, é claro que o tempo poderia passar lá na superfície solar bem mais rápido do que o da terra, imagine só o sol girando ao redor dele mesmo na velocidade da luz, se existissem seres lá eles pulariam que nem pipoca, nasceriam e morreriam antes de um piscar de olhos, pois tamanha velocidade faria com que nada ali fosse estável e tudo se integraria e desintegraria quase que instantaneamente, divido ao choques e explosões provocadas pelo fortes e velozes movimentos imprimido as partículas que ali estariam em sua dimensão! 

Portanto, demonstro mais uma vez que a relatividade é anticientífica, vai na contramão da lógica daquilo que é observado e medido em segundos, minutos, horas, dias e anos como nosso tempo regular no referencial de rotação e translação de corpos astronômicos. As previsões da relatividade são as mais improváveis de representarem o que acontece realmente na realidade do mundo físico que nos cerca! 

Se a terra passasse a girar na velocidade da luz, os seres vivos e nós humanos que estamos nela seríamos todos mortos instantaneamente, pois a rotação tão rápida faria com que os seres e objetos fossem arremessados uns contra os outros, objetos seriam arremessados para fora da terra em direção ao espaço ao se chocarem com o chão da terra, como uma pipoca é arremessada para fora da panela, e poderia ainda ser produzido faíscas resultantes do choques e colisões desses objetos uns com outros incendiando a terra inteira numa imensa fornalha.

Consequentemente tempo dilatado algum resultaria disso, mas sim o contrário, o tempo (movimento dos corpos ou sua duração de integridade ou estabilidade física) passaria bem mais rápido e as coisas não passariam de instantes que se integrariam e desintegrariam em frações de segundos ou piscar de olhos e então teríamos uma redução de tempo de duração dos fenômenos, nada duraria, seria estável ou sólido com massa corpórea por um determinado tempo prolongando aos nossos olhos. 


Absurdos, possíveis confusões e caos das atividades humanas caso houvesse a adoção do tempo einsteiniano como nova medida de tempo: 




Nessa palestra acima, o professor diz que a dilatação temporal é imaginada com um relógio muito peculiar, que tem detector de luz para medir o tempo, ora, todos sabemos que um relógio comum não é desse jeito, não funciona por detecção de luz, mais com pilha e com ponteiros comuns que se movem tendo como base as posições dos astros no céu, marcando as horas do dia e da noite convencionalmente. 

Logo a dilatação temporal da relatividade é uma medida de tempo puramente invetada por Einstein, nos nossos relógios convencionais, nenhum se atrasa ou se adianta em relação ao outro por causa da aceleração de corpos ou inércia dos mesmos. 

Mesmo se estando a viajar a 300 kilometros por hora num carro de fórmula 1 e estando parado, o meu relógio de pulso e o do piloto de fórmula 1 estando a 300 km por hora ou mesmo a 1000, irá marcar o mesmo tempo, nenhum se atrasará ou se adiantará em relação ao outro, por que o tempo convencional é medido de acordo com um referencial invariável, o movimento da terra em relação ao sol e astros no céu e não em relação a velocidade de corpos e raios de luzes. 

Se as medidas de tempo da relatividade de Einstein fosse válidas de forma geral pra sociedade, uma pessoa com relógio no pulso se movendo em direção ao seu trabalho veria seu relógio se atrasar em relação ao da fábrica que estaria a andar mais rápido devido a estar parado e sem velocidade alguma no planeta terra. 

Isso criaria um caos e confusão generalizada, pois nada poderia ser organizado coletivamente, se fosse adotada a dilatação temporal de Einstein com relógios atômicos pra sociedade em geral, ninguém chegaria a um acordo em encontros, horários de trabalho e etc... Cada relógio marcaria um tempo diferente. 

O pobre sempre levaria a pior, pois atrasaria em relação ao relógio de seu empresário, que ficaria cada vez mais rico devido medidas de tempo malucas e caóticas de Einstein, que não trariam nem um benefício prático para humanidade. 

É por isso que relógio atômico existe a mais de 50 anos e não vingou como comercialização pra sociedade, não funcionou e nunca vai funcionar para a humanidade em geral, por que se vê que é baboseira e absurdo de Einstein, em que somente seus seguidores físicos, adotaram isso. 

Quem que em sã consciência vai querer substituir uma medida de tempo útil e invariável, em que uma ampla gama de seres humanos possam realizar coletivamente as atividades da vida por uma marcação de tempo parcialmente invariável e universal em determinadas regiões da terra que estão nos mesmos graus de longitude e latitude terrestre, por uma nova medida de tempo altamente variável e dependente de cada observador ou ser humano individual que se mova em x velocidade e marque um tempo individual no seu relógio, relativo a sua velocidade de aceleração? 

Einstein foi a absoluta e constante bobagem na física!



Conclusão:  



A lógica física - empírica da medida de tempo clássico é totalmente contrária a lógica da relatividade restrita da dilatação temporal de Einstein!

Quanto maior a velocidade de um corpo, mais depressa o tempo deve passar, pois numa velocidade de rotação maior haveria uma passagem mais rápida das horas e os dias e noites passariam também mais rápidos. O contrário também seria provavelmente verdadeiro, a saber, que quanto mais devagar se move um corpo, mais devagar o tempo passaria, pois o planeta rotacionando mais devagar, as horas, dias e noites também passariam mais lentamente. 

Também numa velocidade alta haveria mais desgaste do corpo, se chocaria com mais intensidade contra outras corpos e partículas e sofreria mais danos a curto prazo, levando - o consequentemente a uma mais rápida desintegração física(isso contribuiria para uma menor durabilidade do corpo) . O contrário também seria provavelmente verdadeiro, a saber, que quanto mais devagar se move um corpo, mais devagar o tempo passaria, pois os choques e colisões seriam mais tênues e o corpo se conservaria integrado por um tempo mais longo!


Nenhum comentário:

Postar um comentário