domingo, 9 de dezembro de 2012

Crítica da Teoria da Relatividade Geral.


 Se uma  teoria me diz que o espaço é constituído por um tecido material que
sofre uma curvatura de corpos massivos, mas se isso de modo algum for
sustentado por um número satisfatório de observações e experimentos,
então esse postulado não é passível de verificação e consequentemente se
torna não falseável(crença dogmática), pois uma coisa para ser
falseável segundo o próprio Popper precisa primeiro respeitar o critério
da verificabilidade. Ainda mais o espaço que está acessível a
observação de todos os homens aqui da terra, então deveríamos ter tido
múltilos experimentos de todos os cantos do planeta verificando de modo
invariavelmente objetivo o desvio de luzes pela curvatura do espaço -
tempo para a RG einsteiniana poder ser validada cientificamente e
objetivamente. Então a TRG einsteiniana de modo algum obedece esse
critério de verificabilidade objetiva através de grande número de
experientos e observações, pois as luzes se curvando ao passarem perto
do sol deveriaim ser observadas de várias regiões do planeta terra e não
somente se Sobral no Brasil. Ainda mais em terras tão distantes dos
olhos dos cientistas europeus como no Brasil, talvez meu conterrâneo
César Lattes não esteja tão errado ao dizer que Einstein foi uma fraude.
E outra um monte de experimentos em ciência as vezes são declarados
como errados ou feitos sobre condições insatisfatórias, precárias ou com
objetos de detecção mal calibrados, agora imaginem só tomar uma
condição tão excepcional(como um eclipse solar) e única para validarem a
teoria da relatividade geral como ciência? Pode ter havido acúmulos de
erros nesse único experimento, má calibração do equipamento ou
telescópio, ilusão de ótica provocada pelo eclipse ou por fenômenos
estelares como distorção da luz por poeira ou gás cósmico, ou ainda
distorção da mesma também por neutrinos ou outros tipos de partículas
desconhecidas ou ainda muitos outros erros não mencionados em
experimentos que desconheço e que poderia ter acontecido.
Por que não houve uma multidão de outros experimentos para melhor corroboração empírica - experimental da TRG? Por que pelo que sei só houve essa experiência de Sobral e depois não houve mais nenhuma outra que serviu para aprovar de modo científico a RG(relatividade geral) !

Origem das Trevas no Espaço Sideral Cósmico 2

Então deduzi (no sentido de justificar ou dar base a essa minha hipótese)
pelo método indutivo que as trevas no espaço sideral cósmico PODE SER
resultante de uma cobertura ou revestimento de matéria densa que estaria
envolvendo todo o nosso universo, assim como as trevas ou sombras aqui
na terra tem existência mesmo com a presença do sol ou de luz artificial
humana numa noite, mas que na verdade são efeitos da matéria densa que
encobre a luz solar ou a luz artificial produzida eplo homem, conforme
os exemplos e experimentos que citei. Nesse caso, o universo
estruturalmente seria curvo como a terra ou outro corpo
astronômico e teria uma derme de matéria densa que estaria protegendo
todo o seu conteúdo interno(nós estaríamos dentro dele e nesse conteúdo
interno) e esta derme constituiria seu conteúdo externo. Mas essa minha
hipótese leva em conta a teoria do multiverso e nosso universo não seria
o único, mas seria uma espécie de organismo vivo que tira sua energia
expansionária alimentando - se ou absorvendo de outros universos paralelos
no multiverso. A Densa Derme Gigantariana(envolvedora) poderia também
ter suturas (poros ou buracos) que absorveriam energia para a expansão
do nosso universo(manifestaria -se organicamente como uma célula viva). O que explicaria o motivo por que ainda ela não foi
detectada, pode ser por que a luz que há no nosso universo não é
suficiente para que a derme seja claramente focada e consequentemte
vista por nossos telescópios. Seria como um corpo nosso num exame, ao
qual o médico não conseguirá realizar uma ultrasom se não focar luz
intensa vida de fora do corpo, pois a luz que há nos fótons de nosso
corpo não é suficiente para a realização de qualquer exame. Ainda mais
nós que estaríamos dentro do oraganismo
 cósmico sem qualquer condição de
exame, talvez essa minha hipótese nunca poderá ser comprovada ou
refutada, pois é demais transcendental para que possa ser verificada
pela nossa atual tecnologia e método científico moderno. Mas quem sabe
daqui a 100, 200, 500 ou 1000 anos ela possa ser algum dia refutada ou
comprovada.

Origem das Trevas no Espaço Sideral Cósmico





Vemos  que pode existir trevas aqui na terra mesmo com a
presença do Sol num dia normal. Por quê? Por que as trevas aqui na
terra durante o dia nada mais são do que encobrimento e obstrução da Luz
por matéria densa ou por camadas ou cobertura de matéria densa. Vemos
isso nas sombras das árvores(pois moro em Manaus e aqui tem muitas
florestas e bosques que com suas árvores e folhas encobrem a luz do Sol
provocando a sombra e a temperatura mais amena em regiões da cidade
arborizadas), nas escuridões das cavernas as trevas são provocadas pelo
encobrimento e obstrução da luz pelas camadas de matéria rochosa densa
que envolvem exteriormente as cavernas(pois dependendo da caverna, se
ela for muito fechada ou muito densamente envolvida por camadas rochosas
ou se formos muito ao seu interior de forma que a luz não chegue lá
pode haver até escuridão intensal no interior das mesmas num dia de sol
escaldante. No meu quarto de noite, por esses dias fiz um experimento
olhando diretamente para a lâmpada. Primeiro fechei meus olhos olhando
para a lâmpada e ficou um pouco escuro mas não muito, depois
posteriormente além de ter fechado os olhos coloquei umas das mãos na
frente das pálpebras fechadas de meus olhos e ficou escuro quase como a
noite e depois coloquei as duas mãos sobrepostas umas as outras e a
escuridão ficou quase indiscernível da escuridão noturna, mesmo com meus
olhos apontados diretamente para a luz da lâmpada, mas fechado e com as
duas mãos tampando as pálpebras que também estavam fechadas.
Por que a escuridão aumentou de grau das pálpebras para o posterior acréscimo das duas mãos? Por que as pálpebras dos nossos
olhos são compostas e constituídas por uma fina camada de pele que não
obstrui totalmente a luz, pois pelos poros da pele os fótons da luz pode
passar e ainda chegar a nossa retina. Já com o acréscimo da cobertura
das nossas mãos densas de peles, carnes e ossos, os fótons praticamente
não conseguem atravessar e a escuridão fica bastante intensa, quase
igual a escuridão noturna. Esses exprimentos podem ser realizados por
qualquer um que queirar fazê - los ou realizá - los, tanto na presença
de uma lâmpada como olhando diretamente para o sol num dia comum. O
resultado é quase o mesmo.